Terapias do Bem – O trabalho por Procuração – Gastão Ribeiro

Tempo de leitura: 1 minuto

Um novo termo tem sido usado em psicoterapia infantil nos últimos tempos, “by proxy”, ou por procuração. Um outro termo que também tem sido usado para exemplificar esta pratica é “surrogate” ou por substituição. A ideia básica é a aplicação das técnicas de tapping, hipnose, coerência cardíaca sobre um substituto ou substituta, isto é, vamos usar pequenos bichinhos de pelúcia, ou bonecos para executar estas praticas em substituição.

A técnica por Procuração foi descoberta quando uma mãe que estava sentada em um CTI infantil ao lado de seu bebê prematuro sobre qual os médicos haviam dito que a criança não sobreviveria aquela noite. Ela como terapeuta, muito perturbada começou a fazer uma técnica psicosensorial para se acalmar. Quando ela começou a estimulação dos pontos o bebê começou a se mover, pouco depois a sua cor começou a se alterar e não morreu. Neste momento nasceu o que chamamos de “Tapping Proxy”.

A ideia de uma técnica “by proxy” em psicoterapia é usar de substituição de uma pessoa para um objeto que é o destinatário da intervenção. Podemos usar pequenos substitutos (bichos de pelúcia, bonecos, etc.) para trabalhar pessoas, crianças, mesmo bebês que estão em uma incubadora ou estão gravemente doentes que não podem suportar a batida, neste momento um substituto pode tomar o seu lugar.

O trabalho por procuração tem como objetivo trabalhar bebês, crianças pequenas, pessoas com deficiência, entre outras. O pequeno boneco funciona como uma extensão, um apêndice externo da criança, e ao fazermos pequenos exercícios como o de coerência cardíaca como o objeto é como se estivéssemos fazendo com a criança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *